Seu filho está ficando com a cabeça quadrada?

É praticamente impossível evitar o uso de tecnologia na infância. Lá em casa, não posso dar uma folguinha que elas já querem mexer no tablet ou celular. Mas somos bem chatinhos com isso. Colocamos limite mesmo!!!



Estudos comprovam que o uso excessivo de tecnologia pela criança gera o "embotamento afetivo", que é a dificuldade de ser relacionar, além de  provocar ansiedade, déficit de atenção e depressão, transtornos de sono e alimentação. 

Como as meninas estudam à tarde, de manhã é proibido o uso de tecnologia lá em casa. Pela manhã, o solzinho no jardim é obrigatório.

Cabe a nós cuidarmos para evitar o excesso, que pode trazer sérios prejuízos para o desenvolvimento infantil. 

Mas a gente sempre se pergunta se estamos fazendo certo ou qual é o limite para o uso da tecnologia. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, algumas regrinhas devem ser seguidas pelos pais. Dê uma olhadinha no gráfico a seguir. 




Estas últimas semanas lá em casa estamos lendo "A menina da cabeça quadrada", de Emília Nuñez, que aborda o tema do excesso de tecnologia com muita delicadeza. 

A menina acorda com a cabeça quadrada e ao ser levada ao médico, descobre que as outras crianças também estão assim. Será uma epidemia?, pensa o médico. 

Seguindo os conselhos de sua avó, ela começa a fazer coisas redondinhas para "desquadradizar" a cabeça, como brincar de roda, andar de bicicleta e coisas assim. Uma lindeza este livro!!!  Eu recomendo!

E na sua casa? Como fica o uso da tecnologia?